Livros Enviados

Janeiro: Marcas de Nascença 

Best-seller na França, vencedor do Prêmio Femina e finalista do Prêmio Goncour

Autor: Nancy Huston

Tradução: Ilana Heineber

Sinopse: “Um adulto nada mais é do que uma criança que sofreu.” Essa é a principal idéia por trás de Marcas de Nascença, o 11º romance de Nancy Huston, autora canadense radicada na França. Partindo de uma ideia singela e genial, a escritora conta a história de uma família marcada pelo desenraizamento, pelo dilaceramento da guerra e pela busca de identidade. E o faz de uma maneira originalíssima: por meio do olhar infantil, inocente e perspicaz de quatro crianças, numa narrativa que viaja por vários pontos do planeta, começando na Califórnia do ano de 2004 e terminando na Alemanha que, entre 1944 e 1945, está em vias de perder a guerra. Do garoto californiano no início do século XXI à menina alemã dos anos 1940, pouco há em comum além de uma marca de nascença hereditária. Mas, à medida que a narração avança, fica claro que há muito mais a unir os membros de uma família além dos laços meramente sangüíneos.

Pocket extra: 

Morte na Praia 

Autor: Agatha Christie 

Tradução de Rodrigo Breunig

Tudo o que Hercule Poirot queria naquele verão era ter alguns dias de paz no luxuoso hotel Jolly Roger, longe de crimes e de investigações. Mas quando Arlena Stuart passa por ele na praia, atraindo o olhar de todos os homens (bem como o ódio de todas as mulheres), ele desconfia que talvez suas férias não sejam tão tranquilas­ como esperava. De fato, no dia seguinte, um assassinato acontece. Enquanto tenta descobrir quem é o responsável, Poirot percebe que não são poucas as pessoas naquele hotel que teriam um motivo para matar.

Neste livro, o leitor é convidado a analisar junto com Poirot os motivos e os álibis de todos os hóspedes do Jolly Roger. Morte na praia é um quebra-cabeça complexo, ao melhor estilo de Agatha Christie.

Dezembro: A Pantera das Neves

Autor: Sylvain Tesson

Tradução de Julia da Rosa Simões

Sinopse: Fenômeno de vendas nas livrarias francesas, A pantera das neves é a obra-prima de um mestre. Um dos mais conhecidos e respeitados escritores de livros de viagens, Sylvain Tesson relata aqui as expedições realizadas na companhia de Vincent Munier, célebre fotógrafo de animais e amigo, em busca da raríssima pantera das neves, espécie hoje contada aos poucos milhares e ameaçada de extinção. O resultado é um texto universal, prazeroso de se ler, repleto de reflexões sobre o estado das coisas e a natureza humana, que conquistará todos os leitores.

Novembro: Nietzche no Paraguai 

Autor: Christophe Prince e Nathalie Prince 

Tradução de Julia da Rosa Simões

Sinopse: Este livro conta a história da Nova Germânia, colônia fundada em plena selva paraguaia em 1886 pelo fanático antissemita dr. Bernhard Förster, casado com Elisabeth Förster-Nietzsche, irmã do filósofo alemão Friedrich Nietzsche. O objetivo desta colônia seria criar uma comunidade modelo e pura de interferências étnicas no Novo Mundo para demonstrar a “superioridade da raça ariana alemã”.

Baseada nos fatos verdadeiros que levaram à criação e à destruição da desvairada utopia de Förster e Elisabeth Nietzsche, Nathalie e Christophe Prince escreveram a quatro mãos – combinando ficção e realidade – uma história de tirar o fôlego. Por aqui desfilam aventureiros, fanáticos, nativos, colonos ingênuos, todos envolvidos na tentativa louca e inútil de vencer a selva, as doenças, os insetos, as feras e os desafetos. Tudo isso, com o objetivo único de criar na vastidão da selva tropical uma ilha de “pureza racial”, lançando as sementes da ideologia nazista que meio século depois causaria tanta destruição.

Outubro: A Claridade Lá Fora

 

Autor: Martha Medeiros

Sinopse: Tradutora. Poliglota. Intelectual. Apreciadora de vinhos. ­­Formada na Sorbonne. Avessa a novas tecnologias, moradora de um pequeno balneário, onde vive isolada com o marido, um professor universitário aposentado, em meio aos livros e filmes preferidos do casal. Ligia é uma mulher de opiniões fortes, cabeça feita – ou pelo menos esse é o conceito que tem de si.

Essa existência tranquila e alheia é perturbada subitamente. A parceria de Ligia e Nuno, que se conheceram décadas antes em Paris, é colocada em xeque, e ela precisa reaprender a viver, se deparando com escolhas e questionamentos que não imaginava voltar a enfrentar.

Num enredo que reverencia não por acaso dois mestres do cinema – Almodóvar e Truffaut. Martha Medeiros nos arrebata com uma história que trata dos tênues alicerces das relações humanas, da maternidade à amizade, da culpa à atração sexual. Porque aquilo que mais tentamos esconder, quando se revela, não vem como uma onda, mas como um tsunami. 

Neste que é seu quinto romance, Martha Medeiros nos oferece uma prosa envolvente e contemporânea que tem o ritmo acelerado da vida, convidando o leitor a se entregar a uma dança. Você aceita ser seu par?